Descupinização

Essa espécie é a que causa maiores prejuízos econômicos, pois são responsáveis pelo ataque de construções (edificações), com o objetivo de buscar alimento. Os ninhos desta espécie são tipicamente subterrâneos, ou construídos em espaços estruturais bem abrigados nos vários pavimentos de edificações onde encontrem alimento e umidade necessária à sua sobrevivência (porões, poços de ventilação e elevadores, subestruturas de piso, paredes e lajes duplas, caixas de eletricidade e telefonia, vãos sob escadaria e caixões perdidos em geral, juntas de dilatação e trajetos de tubulações hidráulicas). Esses ninhos podem possuir milhões de indivíduos, e quando necessário constroem ninhos secundários e terciários que são menores e servem como sustentação dos primários. Os ninhos podem estar até 500m do local de infestação. Para se locomover fora do ninho, os cupins constroem túneis, que são mais conhecidos como rastros de cupim. Quando se é possível detectá-los, é porque a infestação encontra-se em nível elevado, visto que o cupim é um inseto que não se expõe. Quando encontram alimentos, instalam-se podendo formar colônias secundárias e/ou terciárias nas proximidades, até que este alimento acabe, sendo assim o cupim sai novamente em busca de alimentos.

  • O objetivo da Descupinização é imunizar os locais atacados através de barreiras químicas no solo, impedindo o acesso dos cupins a edificação e consequentemente o ataque às estruturas e aos derivados de madeira.

CUPIM SUBTERRANEO

Tratamento

Os cupins de Madeira e de solo ambos se alimentam de celulose. Enquanto os primeiros vivem na madeira, os de solo precisam deslocar seus operários até a madeira  a fim de conseguirem alimentos para o sustento da colônia

Cupim de Madeira e Cupim de solo

Começo da invasão Estes operários invadem casas e edifícios através de rachaduras, redes hidráulicas e elétrica, devorando móveis, assoalhos, livros, capas de cabos elétricos, etc, e quando o morador detecta o problema, significa que a infestação já atingiu graus alarmantes, não adiantando uma aplicação superficial pois não irá eliminar a colônia, somente alguns operários.Inspeção

Paredes, assoalhos, tubulações,  locais úmidos, caixões perdidos, porões e rachaduras deverão ser examinados cuidadosamente. Mas somente os especialistas conhecem muito bem os sinais de infestação e a melhor  maneira de combate-la

Começo da Aplicação

Aplica-se o inseticida correto em pontos estratégicos do solo dentro e fora do imóvel. Imediatamente formando uma barreira protetora, impedindo a translocação de cupins entre a colônia e a madeira, evitando se novos ataques.

Este é o fim das invasões sua casa protegida

Invasão de cupins de solo a partir do subterrâneo e se movimentando atrás do reboque, conduítes, pisos e tubulações hidráulicas. Ataque de cupins de solo a partir de jardineiras/ jardins

Tratamento Químico Contra Cupins Subterrâneos

O tratamento químico vem sendo utilizado há aproximadamente 50 anos. Consiste em proteger o seu imóvel contra a entrada, movimentação e destruição das madeiras fixas na estrutura. Neste tratamento são aplicados cupinicida nos pontos críticos, protegendo-os, mas não garantindo a eliminação da colônia pertinente a este ataque. Lembre-se que esta colônia pode não estar dentro de sua residência. Este tratamento depende de furações no madeiramento, espaços vazios e no piso interno e externo às paredes do imóvel. Deve ser feito de maneira mais completa possível e consiste nos seguintes passos

Exemplos de Tratamentos Executados no Controle de Cupins Subterrâneos

  • Barreira química na base de todas as paredes e pilares

Objetivo: Formar uma barreira química uniforme no solo, visando a impedir a entrada de cupins na construção.

  • Tratamento dos jardins e floreiras

Objetivo: Formar uma barreira química uniforme nos jardins, visando impedir a formação de ninhos e a entrada de cupins de solo na construção.

  • Tratamento dos conduítes

Objetivo: Não permitir a passagem dos cupins pelos conduítes, impedindo que os mesmos circulem pelo edifício, bem como evitar a possibilidade de incêndios pelo desencapa mento de fios.

Tratamento de madeira

  • Objetivo: Impedir a destruição de madeiras tornando-as não disponíveis como fonte de alimento para os cupins.
  • Tratamento das vias de movimentação

Objetivo: Impedir a movimentação vertical e horizontal dos cupins, bem como eliminar possíveis ninhos, não permitindo a presença dos cupins nestes locais.

  • Tratamento dos espaços vazios

Objetivo: Impedir o desenvolvimento de novas colônias de cupins, destruir colônias existentes, impedir a destruição de qualquer madeiramento de sustentação ou de acabamento e impedir seu acesso ao piso.

O controle de cupins subterrâneos é complexo e deve der feito com critério, tanto em casas como em apartamentos. Exige um bom planejamento de trabalho junto ao cliente, pois toma tempo e requer acesso a várias partes da edificação.

Liberação/Preparo das áreas a serem tratadas:

Todo local a ser tratado deverá estar liberado para movimentação de nossos equipamentos, produtos e funcionários, pelo menos 2 metros da parede e se tiver armário colocá-los no centro do ambiente. Armário embutido deve ser removido todo o material que estiver no mesmo, para que possa ser perfurado internamente e aplicado o produto em seguida, ausência de 8 a 12 horas de ausência dos locais tratados.

Serviços não inclusos:

Não fazem parte desse orçamento qualquer controle sobre roedores, pulgas, moscas bem como a remoção de entulhos, a recuperação de rede elétrica ou hidráulica que possam sofrer danos advindos de erros informativos da planta e desenhos fornecidos pelo contratante, serviços de alvenaria e pintura ou outros danos decorrentes do trabalho de execução da Descupinização de Solo (Barreira Química).

Outras Orientações:

Após a aprovação do orçamento a contrata deverá informar para a empresa se existe encanamento instalado no local a ser tratado, para que não tenha nenhum aborrecimento após a execução.

Produtos a Serem Usados:

  • Termidor-Fipronil
  • Premise Imidacloprido

Processos Recomendados: Barreira Química     

Descupinização de Solo

  • Infiltração de Solo
  • Polvilhamento
  • Micropulverização

DESCRIÇÃO DO SERVIÇO A SER REALIZADO:

Um inimigo silencioso e invisível que consome seu patrimônio e seus investimentos.

Atacam edificações (casas e prédios de escritórios e de apartamentos) consumindo madeira (armários embutidos, guarnições, móveis fixos), celulose de livros e roupas. Invadem o imóvel, vindos do solo, espalhando-se pela construção. Estabelecem colônias dentro do próprio prédio.

A colônia de cupins é uma sociedade complexa que está estrategicamente escondida. Os principais gêneros de cupins subterrâneos são: coptotermes e heterotermes.

Danos causados por Cupins de Madeira Seca

Os cupins de madeira seca atacam móveis, portas, forros, quadros, rodapés, compensados e madeiras estruturais das construções em geral. O desenvolvimento de uma colônia é bastante lento, de modo que os danos só começam a ser observado após cerca de 3 anos de infestação.

A disseminação desses cupins se dá através do contato da madeira com peças contaminadas.

Identificação de um foco de Cupim de Madeira Seca

Para se identificar um ninho de cupins de madeira seca, devemos prestar atenção às seguintes características:

  • Presença de um pó granuloso com cor e aspecto de madeira sob a peça infestada. Trata-se de fezes de cupins, que quando estão frescas possuem um aspecto mais claro, mas com o passar do tempo adquirem coloração mais escura.
  • Presença de asas de “siriris” ou “aleluias” no local de infestação, o que indica que a colônia pode ter liberado seus reprodutores alados para a revoada.
  • Peças de madeira com a superfície intacta e interior oco, que se quebra com uma

O controle de cupins não é fácil e simples como se imagina. Para o controle de cupins, a CLEAN TEC investe em capacitação técnica dos seus técnicos e operadores.

Seus técnicos possuem amplos conhecimentos da biologia e comportamento dos cupins, participando de congressos e seminários, parcerias com fabricantes como a Dow AgroSciences, Bayer, Novartis, FMC  e contatos permanentes com órgãos de pesquisa.

Com a identificação da espécie dos cupins e da avaliação do local infestado, os técnicos da CLEAN TEC estabelecem as estratégias de controle adequadas para a espécie de cupim identificada.